Frases

segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Bitrate

Áudio (MP3)

  • 32 kbps — Qualidade AM.
  • 96 kbps — Qualidade FM.
  • 128–160 kbps — Qualidade Standard.
  • 192 kbps — Qualidade DAB (Digital Audio Broadcasting). Está a tornar-se o novo standard para música MP3. Com este bit rate, apenas os ouvidos mais profissionais conseguem notar a diferença em relação a um CD.
  • 224–320 kbps — Qualidade aproximada à de CD.

Outros tipos de áudio

  • 800 bps — Qualidade mínima para ter uma voz reconhecível.
  • 8 kbps — Qualidade de transmissão de voz telefónica.
  • 500 kbps a 1 Mbps — Áudio sem qualquer perda de qualidade.
  • 1411 kbps — Formato de som PCM, dos CDS "Compact Disc Digital Audio".

Video (MPEG2)

  • 16 kbps — Qualidade videofone.
  • 128 – 384 kbps — Qualidade de videoconferencia.
  • 1 Mbps — Qualidade VHS.
  • 5 Mbps — Qualidade DVD.
  • 15 Mbps — Qualidade HDTV.
  • 36 Mbps — Qualidade HD DVD.
  • 54 Mbps — Qualidade Blu-ray Disc.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Alguns mitos sobre a licença GNU GPL

Texto não é recente, mas você concerteza irá aprender com ele ;D



A GNU GPL (GNU is Not UNIX - General Public License) é provavelmente uma das licenças de uso de aplicativos mais utilizada no mundo e mesmo assim talvez seja a mais incompreendida. Isto se deve ao desconhecimento do que ela aborda ou, muitas vezes, por propagandas mal intencionadas, com o objetivo de confundir os conceitos na cabeça de profissionais e usuários.

A GNU GPL estabelece que o código fonte dos aplicativos e utilitários que utilizam este licenciamento deve ser distribuído junto com os executáveis (ou que o acesso às fontes seja feito de modo fácil).

Recentemente o IT Manager’s Journal publicou uma lista bem interessante com os 10 enganos mais comuns sobre a GPL. Se queremos entender um pouco melhor esta licença é bom ficarmos atentos a estes erros de interpretação. O artigo completo pode ser visto em:

http://www.itmanagersjournal.com/article.pl?sid=06/08/21/1659203

Relaciono a seguir alguns dos mitos que acho mais significativos. O primeiro engano bastante comum é imaginarmos que um programa licenciado através do GPL não pode ser vendido (cobrado). Apesar de muitas pessoas acharem o contrário, um software distribuído através de GPL pode sim ser vendido como o fazem muitas empresas do tipo RedHat e Novell.

Outra questão muitas vezes mal compreendida é quanto a distribuição dos códigos fontes dos aplicativos. É comum imaginarmos que os distribuidores têm obrigação de deixar públicos apenas a parte do código que sofreu alguma alteração. Nada mais equivocado pois, segundo a GPL, os distribuidores precisam disponibilizar todo o código fonte utilizado para a geração do aplicativo. Além dos códigos fontes, devem ser entregues todos os scripts e arquivos de configuração necessários para a geração dos executáveis.

Por último, um engano bastante comum segundo o artigo do IT Manager’s Journal é imaginar que ter um programa licenciado através da GPL em seu computador implica necessariamente em ter todos os outros aplicativos também nesta licença. Ao que parece este engano foi originado de uma palestra ministrada por Craig Mundie, vice presidente da Microsoft em uma universidade americana.

A GNU GPL está neste momento em processo de revisão e as discussões em torno da nova versão estão muito “quentes”. A versão final (GPLv3) está prometida para março de 2007 e, pelas informações disponíveis, vai significar mudanças importantes nos ambientes livres. Quem tiver interesse em acompanhar o rascunho da licença é só acessar o site:

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

[Off] Toorgle, Busca de torrents by google

Toorgle á um serviço especializado em buscar por arquivos torrent, até aí tudo bem existem milhares de serviços idênticos, mas ele possui uma diferença em relação aos outros, e que diferença, o seu motor de busca é oferecido nada mais nada menos que pelo Google, isso mesmo um serviço de busca de torrents powered by Google


quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Legenda quebrada no ubuntu?

Sabe aquele filme, seriado que você acabou de baixar e deixou pra ver no final de semana?
Chega o final de semana, você abre o filme roda a legenda e para sua surpresa caracteres

(*#&@_*@(*#@+_*+@#*#*+ um tanto quanto idiotas aparecem ¬¬

Como resolver?

Simples.

O ubuntu trabalha no geral usando a codificação UTF-8.

Para resolver problema vamos ao terminal e instalar o recode

sudo apt-get install recode

Depois é só ir no local onde está a legenda e usar o comando:

no meu caso usei..

recode iso-8859-15..utf-8 Prison.Break.S02E17.HDTV.srt

você apenas deve mudar isso

recode iso-8859-15..utf-8 + sua legenda

;D

Pronto agora é soh abrir o filme que a legenda estará normal.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

125 Scripts para download

Coleção com 125 scripts nautilus para você personalizar o seu ubuntu.
Download

Lista dos scripts








|-- Archiving
| |-- Compress__.bz2_
| |-- Compress__.gz_
| |-- Decompress
| |-- archiver-unarchiver
| |-- gnome-archive
| |-- super-extractor
| `-- unrar
|-- Execute
| |-- Open Terminal Here
| |-- Play in XMMS
| |-- XMMS
| |-- command_prompt_here
| |-- gedit
| |-- ghex
| |-- glimmer
| |-- gnome2-terminal-here
| |-- root-nautilus-here
| |-- root-terminal-here
| |-- run
| |-- terminal-here
| |-- xemacs
| |-- xine
| `-- xsu-terminal-here
|-- File Info
| |-- FileUsedBy
| |-- Search Here
| |-- Show MD5 Sum
| |-- Show_Parameters
| |-- filetype
| |-- ggrep
| |-- gtk-du
| |-- gtk2-du
| |-- gtk2-grep
| |-- mimetype
| `-- wordcount
|-- File Processing
| |-- Mail In Evolution
| |-- New Text Document
| |-- concatenate
| |-- dos2unix
| |-- doublespace
| |-- latex
| |-- latex2ps
| |-- mail_file
| |-- mail_file2
| |-- maker
| |-- new-text-document
| |-- pdf2ps
| |-- pixdir2html.pl
| |-- pprint
| |-- print
| |-- print_with_openoffice
| |-- ps2pdf
| |-- scp2host
| |-- scp_to_host
| |-- search_n_replace
| |-- secure copy
| `-- superexec.py
|-- File System Management
| |-- Get Photos
| |-- Junksorter.pl
| |-- Make Link
| |-- QuickBurn
| |-- Search Here
| |-- UnExec
| |-- burn_dir
| |-- burn_iso
| |-- change_name
| |-- chmod
| |-- chmog
| |-- copyhome
| |-- junksorter
| |-- linker
| |-- lowercase
| |-- mount_loopback
| |-- moveup
| |-- set_exec
| |-- set_read_only
| |-- shredder
| `-- uppercase
|-- Multimedia
| |-- Create_Thumbnail
| |-- Naudilus
| |-- Play_in_XMMS
| |-- Queue to XMMS
| |-- Show Digital Photo EXIF data
| |-- XMMS_Enqueue
| |-- convert_to_jpeg
| |-- convert_to_png
| |-- create-vcd
| |-- dv_to_mpg
| |-- mirror_jpg
| |-- queue_to_xmms
| |-- rotate
| |-- rotate_image
| |-- rotate_jpg_left
| |-- rotate_jpg_right
| |-- scale_image
| |-- scale_image_to_sizes
| |-- slideshow
| `-- watermark
|-- Obsolete
| |-- RPM-install-update
| |-- bzip2
| |-- converter
| |-- create-zip
| |-- create_file
| |-- create_targz
| |-- gb-unzip
| |-- gzip
| |-- mail_image
| |-- mailinbalsa
| |-- to_upper
| `-- uncompress_all
`-- System Configuration
|-- Debian_Package
|-- Hide or Show Hidden Files
|-- Install to Palm
|-- Install_Galeon_Theme
|-- Query_RPM
|-- RPM-install-update
|-- RPM-tools
|-- Set image as Wallpaper
|-- Set_as_Directory_Icon
|-- Set_as_Wallpaper
|-- Show_Directory_Metafile
|-- archiver-config
|-- install_rpm
|-- make-nautilus-script
|-- make_launcher
|-- pseudo-nautilus
`-- pynautilus





domingo, 16 de dezembro de 2007

Histórias da vovó -1-

Texto pego no forum guia do hardware

http://www.guiadohardware.net/comunidade/burrice-lixo/814573/

Como quase ninguém neste mundo fala o meu idioma. Preciso contar uma história pra vcs.
Tenho um pc no trampo, bem velhinho, castigado, com um amd k6 no meio. Enfim, é lento o negócio lá.
Me irritei com o windows e intalei o debian-br lá. Versão desktop light, suporte a impressão, tudo funcionando, e incrível! Rápido!
Como só eu uso o pc, eu nem me preocupei com explicar nada pra ninguém. Alguns arquivos que eram usados por outras pessoas eu salvava no formatão do tio Bill e pronto.
Não é que o meu chefe viu o pc funcionando bunitinho, rapidinho e ficou bravo!!
-O que é isso aqui?
-é linux, eu disse.
-Quem mandou instalar?
-Ué, ninguém. O coitado só travava, eu tinha que arranjar um jeito de trabalhar.
-Pode parar com isso. Todo mundo trabalha COM ESTE computador há dez anos ( e eu rindo) e nunca reclamaram. Pode por de volta o win*.
-Mas viu - eu respondi - é pirata. Não tem problema? Tipo, é crime instalar aquilo aqui.
-É crime mas não é culpa minha.
-Não interessa. Esse negócio de linux é pra louco. Não é pra gente séria.
Enfim, acabou assim a conversa e como era tarde, amanhã o pobre pczinho vai ganhar um windão 98 de novo.

sábado, 15 de dezembro de 2007

navegando pelo del.icio.us ...


allow private saving of bookmarks? Acho que o cara não ativou essa opção no seu DELICIOUS

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Bloqueio de sites indesejados no Linux

Por: blog.comercionline
Hoje vou passar uma dica de como bloquear explicitamamente certos conteúdos na web.

Por exemplo caso voce deseje bloquear o site www.playboy.com.br no seu computador para que nenhum usuario tenha acesso atraves da URL www.playboy.com.br

1. Abra um terminal em modo super usuario

2. Digite o seguinte comando:

# host www.reale.com.br (tecle Enter)

Você terá, dentre algumas linhas de resposta, algumas neste formato:

www.reale.com.br has address 64.233.179.104
www.reale.com.br has address 200.185.109.100

Nota: www.reale.com.br é apenas um exemplo. Substitua-o por um site que você considere seguro para os usuarios do seu micro.

3. Edite o arquivo /etc/hosts e inclua no final do arquivo a seguinte linha:

200.185.109.100 www.playboy.com.br

Salve o arquivo.

Quando qualquer usuario digitar na barra de endereço do navegador a url www.playboy.com.br ira abrir o site www.reale.com.br, impedindo dessa forma que o usuario acesse a pagina proibida.

sábado, 8 de dezembro de 2007

Tema das notificações

Dica pega no site: bani.com.br

Estava eu olhando umas configurações de notificação e encontrei um recurso interessante, que é mudar o tema. O tema que vem por padrão no Ubuntu (amarelinho) foi feito pelo pessoal do Ubuntu. A figura abaixo mostra este tema:









O tema que vem por padrão no programa notification-daemon é um azul. Eu achei muito interessante, principalmente porque não uso o tema Human, padrão do Ubuntu, e sim o Clearlooks, tema baseado no azul. Vejam como a notificação ficou legal:






Para mudar o tema, é só mudar a chave do gconf: /apps/notification-daemon/theme
Mude de ubuntu para standard.

Via linha de comando (terminal):

gconftool -s –type=string /apps/notification-daemon/theme standard

Se quiser fazer pelo modo gráfico, aperte ALT-F2 e digite gconf-editor. Navegue por esta pasta e altere o valor da chave para standard.

Se quiser voltar ao normal, altere de volta o valor da chave para ubuntu.

A propósito…

Antes que alguém pergunte, estou trabalhando um patch para o gaim e para o gaim-libnotify para que as notificações fiquem grudadas no ícone do gaim. É o que vocês podem ver na figura acima.


[Off] Cuidado com pastas compartilhadas /Limewire/Emule/ ...

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

[Off] iPhone no liquidificador

O que é o GNU/Linux ?

O GNU/Linux é o resultado do sistema GNU com o kernel Linux.

O projecto GNU, GNU's Not Unix, foi iniciado em 1984 por Richard Stallman, com o intuito de os utilizadores de programas poderem gozar de mais liberdade, e não serem reféns das empresas que os vendem. Da mesma forma, os programadores não devem ser limitados, mas sim ter livre acesso e reutilizar código fonte.

E arrancou com o objectivo de desenvolver um sistema operacional completo e livre, similar ao Unix. Um sistema operativo similiar ao Unix é um conjunto de muitos programas. Um conjunto de bibliotecas foi criado e denominado de GNU Lib C. Outras ferramentas criadas consistem em ferramentas básicas, como os comandos grep, cut, ls, mkdir, rmdir, ln, mas também ferramentas de compilação, como o make, gcc, autoconf, e outras. O GNU inclui todo o software GNU, e muitos outros como o X Window System e o TeX.
No início da decada de 90, o GNU estava quase pronto, faltando desenvolver o kernel (que por motivos da estratégia utilizada demorou muito mais tempo a ser elaborado do que o esperado), quando Linus Torvalds lançou o seu kernel muitas pessoas começaram a juntar esse kernel ao GNU, originando um duo que revelou ser muito eficaz. Daí a designação mais correcta dos sistemas normalmente denominados por "Linux" ser "GNU/Linux",
A razão da existência do GNU é cumaltar a existencia de um sistema operativo livre, por isso todos os componentes deste são software livre (não necessáriamente sob copyleft).

O Linux (o termo "Linux" refere-se sempre ao longo deste documento como o kernel criado por Torvalds) foi inicialmente criado, como um hobbie, por Linus Torvalds, na altura estudante da Universidade de Helsínquia, Finlândia. Linus tinha um elevado interesse no Minix, um pequeno sistema Unix, e decidiu desenvolver um sistema que excedesse os standards do Minix. Começou o seu trabalho em 1991, altura em que lança a versão 0.02 e trabalhou arduamente até 1994, altura em que a versão 1.0 do kernel do Linux foi lançada. A versão actual (estável) é a 2.6 sendo que o desenvolvimento de novas versões não para, e está sob licensa GPL.

O GNU/Linux é fruto de uma comunidade que compartilha as suas descobertas, e que preza a liberdade e o espírito de fraternidade.
Novas aplicações são concebidas todos os dias. Para se manter um estado de evolução constante, é preciso força de vontade, génio inventivo, e estar disposto a fazer parte de uma comunidade que se orgulha de partilhar, de aprender, e de ensinar. Não é uma comunidade egoísta, nem fechada: pode examinar o código fonte de cada programa, e ver o que cada ferramenta, função, instrução faz. Pode aprender com o que outros fizeram. E pode acrescentar o seu código nesta construção. Tem estas liberdades garantidas pela GNU General Public License

alias net-pf-10 off - Desabilitar ipv6 - Melhorando sua conexão


How-to: Fix A Slow Internet Connection In Ubuntu 7.10 - The funniest videos are a click away

WINDOWS VISTA (AERO) VS LINUX Ubuntu

Surpresa no final do vídeo ;D


WINDOWS VISTA (AERO) VS LINUX UBUNTU (BERYL) - Watch the top videos of the week here

domingo, 2 de dezembro de 2007

Como fazer o download de um ficheiro de video streaming (mms)

Quando estava a ver o Jornal da Tarde da RTP deparei-me com uma notícia que me chamou a atenção e logo me apeteceu guardar para um ficheiro.
Entrei no site e lá estava o Jornal da Tarde pronto a ser visualizado através de streaming (mms://…).
Logo coloquei a questão: Como vou descarregar isto?
Foi então que descobri o mimms para resolver o problema.

Foi só fazer isso no terminal

$ sudo apt-get install mimms
$ man mimms
$ mimms mms://servidor/ficheiro.wmv video.wmv

Mais fácil é impossível!